A diferença entre Videomaker e Filmmaker!

Meus queridos! Hoje vim responder umas das perguntas mais feitas na internet com relação ao mundo Audiovisual! Qual é a grande diferença entre Filmmaker e Videomaker! E se você está se perguntando se essa diferença existe sim ela existe e pode ser totalmente diferente do que você imagina!

 

Muitas vezes vi pessoas questionando a diferença entre esses termos e para entender, temos que entender a formação da palavra e porque ela surgiu.

Filmmaker

O termo filmmaker surgiu da combinação de palavras Film, que em inglês significa: Filme e Maker que no inglês significa: aquele que faz. Na tradução livre Filmmaker é  aquele que faz filmes. Entretanto não é somente isso que a palavra quer dizer. O termo Film é utilizado quando o cineasta que está produzindo o produto audiovisual usa em sua produção a película (filme) para captar as imagens. Neste caso Filmmaker significa aquele que usa filme (película) para realizar suas peças audiovisuais!

Filme = Película

Videomaker

Bom, você me pergunta agora da onde vem a palavra videomaker. Maker, como já vimos é aquele que faz, entretanto o termo vídeo vem da palavra Videotape que na tradução livre é a famosa Fita Cassete. Então videomaker é aquele que usa fitas em suas obras audiovisuais.

Fita Cassete ou Vídeo Tape do Inglês

Diferente do que muitas pessoas pensam, os temos não estão conectados com meio de transporte da obra (onde será exibida) e sim com o suporte em que foi captada. Podemos sim ter um vide-o sendo exibido em uma sala de cinema assim como podemos ter um Filme película) sendo exibido fora de uma sala de cinema. Um outro fato interessante sobre isso é que antigamente existia também distinção entre os termos “Gravar”  e “Filmar”, pois um se referia ao uso de Videotapes e o outro se referia ao uso de Películas (Filme).

 

O que isso interfere atualmente?

Bom atualmente é raro encontrar pessoas que trabalhem com esses suportes em produções corriqueiras. A película ainda é muito usada em produções de longas metragens. Mas a Videotape é bem rara nos dias atuais. Hoje o suporte predominante é o suporte digital, que não se enquadra no Filmmaker nem no Videomaker, pois ele não é nenhum nem outro.

Ainda ficou na dúvida sobre essa diferença? Então deixa seu comentário ai em baixo! Espero que tenham gostado! Sigam clicando!

Gustavo Winther

 

Anúncios

Criando o Look Vintage no Adobe Lightroom!

Há algumas semanas atrás eu fiz um post falando sobre Fotografia Analógica e sobre a importância dela para a formação de um fotógrafo e uma coisa não saiu da minha cabeça, nem todos querem ou tem paciência para fazer fotos com o filme, e tudo bem! Você sabe o que é melhor para sua carreira, mas muitos tem apreço pelo Look do Filme, ou como é conhecido hoje, o Look Vintage. Então decidi vir aqui mostrar como você pode recriar esse look usando fotografia digital e o Adobe Lightroom.

Antes de começar gostaria de dizer que se você não está com tempo ou paciência para recriar esse look você pode comprar o Vintage Presets Pack online! Ele é um pacote que vem com 6 diferentes presets para Lightroom, todos emulando filme antigo e o Look Vintage! Todos estão disponíveis na loja e isso pode te economizar muito tempo! Se quiser conferir só clicar aqui!

Vintage Presets Pack para Adobe Lightroom

Sem mais delongas vamos começar! Para criar um look vintage precisamos primeiro escolher qual tipo de look vamos emular. Como não quero criar uma bíblia aqui nesse post vou escolher um look, dentre todas as imensas possibilidades, o look que vamos reproduzir é o Matte Warm. Esse look Matte Warm implica em deixar a foto com tons mais quentes e tirar a latitude das luzes, deixando assim a foto com uma cara mais esmaecida e amarelada, além de adicionarmos textura nela.

1- Correções básicas!

O primeiro passo antes de começar qualquer processo é corrigir a fotografia caso ela precise de ajustes. Essa etapa é bem simples e depende de fotografia para fotografia, mas algumas vezes você pode ter feito a fotometria muito escura ou muito clara e antes de aplicarmos o look é necessário arrumar isso (Caso seja sua vontade). Para isso basta mexer nos Sliders de exposição, Pretos, Claros, Sombras e Altas Luzes. A famosa Basic Correction! Feito isso podemos seguir em frente!

Ajustes básicos

2- Curvas! Esmaecendo a fotografia

Essa é uma das etapas mais importantes do processo. Vamos esmaecer os pretos e os brancos da imagem, isso vai fazer com os pretos se tornem pretos acinzentados e os brancos se tornem brancos acinzentados, fazendo assim ela ter uma cara antiga e esmaecida. Para fazer isso é bem simples.

Vamos abrir a Tab Curvas e você deve encontrar uma linha reta.

Curvas sem contraste aplicado

A primeira coisa a fazer vai ser adicionar contraste nessa curva, tornando ela uma curva “S”.

Aplicando contraste em “S”

Feito isso vamos pegar os pontos extremos da curva e subir com eles! Nessa etapa não podemos exagerar, se passarmos do ponto vamos criar aberrações na imagem. A referencia do ponto máximo que você pode subir com os pretos é até o ponto que você criou na sua curva de contraste!

Quebrando os pretos e os brancos

Feito isso terminamos com essa etapa e criamos o esmaecido da fotografia!

3- Adicionando os tons quentes!

Aqui nessa etapa começamos dar a cara para o nosso look! E fazemos isso através de colocarmos mais tons quentes na imagem, sempre optamos por tons mais amarelados/alaranjados Eles que dão o feeling de uma foto antiga.

Nesta etapa vamos usar a tab de Split Toning, diferente do que muitas pessoas pensam, é preferível não usar o balanço de branco para deixar mais quente as fotos. A ferramenta de balanço de brando serve para corrigir a imagem não para adicionar um Look. Vamos começar pelo Highlights adicionando um tom amarelado/alaranjado!

Adicione Tons quentes nos Highlights!

Dica Pro! – Evite exagerar na saturação desta etapa, não queremos inundar a foto com amarelo, queremos apenas adicionar um leve Touch para ela!

Após isso para evidenciarmos a presença do amarelo, vamos adicionar um pouco, mas muito pouco de azul nas sombras da imagem! Isso vai criar o Cross Color que é quando trabalhamos com espectro opostos de cores que são cores complementares.

Adicione Tons azuis nas sombras

E para finalizar esta etapa vamos colocar o balanço para Highlights, desta forma o que vai ficar evidenciado na imagem é o Amarelo e não o Azul que colocamos apenas para preenchimento!

Coloque o balanço para os Highlights

4- Adicionando Grão

Aqui entramos em um aspecto que vai trazer o Look á vida que é adicionar grão na imagem. Antigamente o filme fotográfico tinha granulação dependendo da sua ASA, hoje em dia no digital essa granulação existe, mas a textura dela é bem diferente da textura do filme, por isso vamos adicionar ela na pós!

Para fazer isso é bem simples, basta vir aqui em baixo na aba de Efeitos! Lá você pode escolher o quanto de grão você quer na sua fotografia, o tamanho dele e a aspereza do grão.

Adicionar grão é o que faz a fotografia ter aquela cara antiga!

Aqui você pode colocar o quanto for de seu agrado, mas não recomendo exagerar como em todos os outros, pois pode tornar sua fotografia muito sem cara de fotografia.

5- Vinheta!

A quinta e última etapa é bem simples que é adicionar um pouco de vinheta na fotografia.

Adicionar vinheta é opcional, tem pessoas que gostam!

Esta etapa é totalmente opcional, pois tem muitas pessoas que não gostam de vinheta e acha que ela prejudica a imagem.

PRONTO

Viu como é fácil replicar o look vintage na fotografia digital? Essa técnica você pode usar tanto no Lightroom Desktop como no Lightroom Mobile! Se gostou deste efeito recomendo verificar o Vintage Presets Pack para Lightroom! Lá você vai encontrar muitas possibilidades para as suas fotografias! AGORA! PREPARA QUE LÁ VEM SURPRESA! Se você quiser ganhar 50% de desconto no Vintage Presets Pack basta assistir ao vídeo abaixo que em algum momento dele eu deixo um código de desconto para os interessados! Corre lá e assiste!

Agora você vai poder criar fotografias com um Look mais vintage que tantas pessoas gostam! Se você usar essas dicas não se esqueça de compartilhar os resultados comigo no Instagram @GoWinther que vou ficar muito feliz em ver!

 

Gustavo Winther 

O que eu levo na minha mochila de viagem?

Depois de muito pensar eu percebi como pode ser complicado para um fotógrafo viajar. Quem nunca desejou viajar e levar todas as suas tralhas consigo, câmera, drone, tripé e uma bolsa gigante que coubesse tudo isso.

Então decidi juntar nesse post uma lista de equipamentos  e gadtes que eu sempre levo comigo quando vou fazer uma viagem (pode ser de 2 ou 11 dias), mas são equipamentos que eu sinto que não atrapalham a sua diversão da viagem, mas ao mesmo tempo te permite criar, fotografar e filmar sem medo.

Algumas coisinhas antes de começar a lista, eu prezo muito pela qualidade dos materiais que eu levo e sempre procuro fazer o melhor com eles, mas ao mesmo tempo eu gosto de equipamentos leves e pequenos, pois em uma viagem tudo isso vai ficar nas nossas costas durante o dia todo, certo? Além disso todos os equipamentos que eu citar aqui eu vou colocar um link para compra. Se você efetuar a compra através deste link eu recebo uma pequena comissão que ajuda a manter este blog e o canal do YouTube funcionando. O valor do produto não muda em nada usando este link, ele é apenas uma maneira de me ajudar. Bora começar?

O primeiro item desta lista claramente é a mochila! Ela foi um grande desafio de encontrar (ainda mais aqui no brasil). Preciso dizer que ela é uma mochila compacta e que um dia ainda desejo ter uma maior, mas sim, ela funciona perfeitamente para viagem e o fato de ser compacta me ajuda a manter um estilo minimalista de viagem, me obrigando a levar somente o necessário.

Lower Pro Flipside 300

Mochila Lowepro Flipside 300 – Espaço Externo

Eu escolhi a Lower Pro por alguns motivos, o primeiro deles é pela qualidade da marca, eles fazem mochilas excelentes e com tudo que um fotografo/videografo precisa. O segundo motivo pelo qual eu escolhi ela é pelo fato de ser anti-furto, pois ela só pode abrir pelas costas. Pode parecer bobagem, mas quando você está andando em meio à uma multidão ou pegando um trem você sente segurança que ninguém vai ficar mexendo nas suas coisas pelas costas, ainda mais se você estiver em um país estrangeiro. Além disso, ela parece pequena e miníma por fora (o que ajuda a ser discreto), mas por dentro você tem bastante espaço útil para usar.

Um ponto negativo dessa mochila é que você não tem nenhum tipo de acesso rápido ao seu equipamento, justamente por ser anti-furto. Um grande ponto positivo desta mochila é suas divisórias internas e uma pequena pochete que vem dentro ela é ótima para manter tudo organizado. Eu geralmente deixo itens diversos como PowerBricks, canivetes, carteira, remédios e etc.

Mochila LowerPro FlipSide 300 – Espaço Interno

Vocês podem ver na imagem que ela abriga bastante coisa né? Mesmo sendo pequenininha ela é super funcional! Se interessou na LowerPro Flipside 300? Você pode comprar ela pela Amazon BR, basta clicar aqui!

 

A Câmera da vez

Bom! Vamos entrar na questão principal. Qual câmera eu levo em uma viagem. Já experimentei muitas câmeras, diversas marcas, mas sempre demorei para encontrar uma que me agradasse e me deixa-se confortável com o ato de fotografar, temos que combinar, puxar uma câmera no meio da rua chama atenção, ainda mais se for uma mega DSLR 5D Mark IV. Elas não são nem um pouco discretas.

Diferença de tamanho entre uma DSLR (D700) e uma Mirrorless (A6300)

Eu já viajei com câmera DSLR e posso dizer como é desconfortável tirar uma câmera enorme da mochila para fazer uma foto e como todo mundo para para ver o que você está fazendo. Muitas vezes você também tem que parar de fotografar porque você esta com uma câmera “Profissional”. Más noticias, mas não é porque é grande que é profissional.

Sony A6300 Miroless

Quando eu viajo estou sempre procurando por discrição, compatibilidade e qualidade. Como resultado desta busca acabei com a Sony A6300, que é uma câmera Mirrorless . A grande sacada desta câmera é que ela não sacrifica qualidade para se ter portabilidade. Eu percebi que ela era uma boa escolha, principalmente para viagens, pois ela é super discreta, as pessoas nem reparam que você esta fotografando/filmando, mas ainda assim continua fazendo fotos e vídeos com nitidez e qualidade.

Câmera Mirrorless Sony A6300

Um outro ponto que gosto de falar é que, se você como eu gosta de fazer vídeos, essa câmera vai suprir suas necessidades, ela grava 4K 30fps e 1080p à 120fps, quer mais? Tem mais, ela tem um sensor crop, mas que tem uma sensibilidade incrível em baixa luz.

Muitas pessoas podem achar interessante comprar as irmãs da Sony A6300, que são a A6000, A6400 e A6500. Todas elas são ótimas opções somente a A6000 que é uma câmera que não recomendo para quem gosta de fazer vídeos, mas se você quer fazer somente fotografias ela é ótima!! No geral todas as câmeras citadas aqui em cima são semelhantes e entregam uma qualidade muito boa, tudo vai de quanto você quer investir nelas. Eu escolhi a A6300, pois para as minhas necessidades ela tinha um bom preço enquanto as outras (no caso A6400 e A6500 que era as minhas opções) eram um pouco mais caras. Gostou da A6300? Você pode comprar ela clicando aqui!

Quer conferira a Sony A6500? Clica aqui! Se quiser comparar com a A6400, só clicar aqui! E por fim se seu negócio for fazer apenas fotografias você pode achar a Sony A6000 um excelente custo benefício e pode encontrar ela Clicando aqui!

Lentes

Agora vamos falar um pouco sobre as lentes que eu acho legal se ter quando vai viajar, nesse quesito acho que as escolhas são muito pessoais e que cada fotógrafo tem as suas lentes favoritas, mas vou manter a pegada deste post que é focado em viagens e viajar com leveza. Pensando desta forma a gente já limita nossas escolhas, eu acho um processo muito chato ter que ficar trocando de lente em uma viagem, temos que para no meio do nada, abrir a mochila, pegar lente, tirar lente, colocar lente, guardar lente e colocar  na mochila de volta para fazer 1 foto com a lente, ai você repete todo o processo por que precisa da outra lente.

Pensando dessa forma já percebemos que o fator principal para escolha das lentes é versatilidade e funcionalidade então eu acho que duas opções ótimas para se viajar é a própria lente do KIT, no caso da Sony é a 16-50mm f/3.5-5.6 ou, se você quiser investir um pouco mais você pode ir atrás da Sony 18-105mm f/4, que vai te dar ainda mais versatilidade.

Sony E PZ 16-50mm F/3.5-5.6 Oss

Vale lembar que a própria lente do kit (16-50mm) é super compacta e ninguém percebe que você esta fotografando, já a 18-105 é um pouco maior e mais chamativa, mas nada demais. Muitas pessoas podem estar me julgando e pensando o porque de eu não colocar lentes primes aqui com aberturas do gênero f/1.8 ou menor. A resposta para isso é bem simples, em situações de viagens eu não gosto de trocar de lentes, gosto de trabalhar com 1 lente, a troca de lentes me incomoda e faz com que eu não aproveite o próprio ato de viajar.

16-50mm na sny A6300, super leve e compacta

Claro que se você vai fazer uma viagem muito específica como ir para o Deserto do Atacama, claro que é legal você planejar levar uma lente como a Sigma 16mm f/1.4, pois você sabe que lá vai ter situações que ela vai ser muito útil. Agora se você está indo para uma viagem aonde não se tem ago muito específico assim para se fazer, vá com uma lente Zoom e seja feliz.

Tudo é uma questão de conhecer como você fotografa e entender qual tipo de abordagem você tem sobre os assuntos, pois assim você vai saber quais lentes você se da melhor. Mas se você gostou da Sony 16-50mm f/3.5-5.6 você pode comprar ela Clicando Aqui! Se você já tiver ela e esta pensando em investir em algo como a Sony 18-105mm f/4, você pode confira essa oferta Clicando Aqui! Lembrando que ambas as lentes que falei aqui são para o E-Mount, que é o bocal da Sony!

 

Tripés e apoios

Bom, este é um item que eu estava muito na dúvida se deveria colocar na lista ou não, mas achei válido colocar porque não é um tripé enorme e pesado que vou colocar aqui (Vocês podem ver que quero ser o mais compacto possível, nossa coluna agradece).

Eu gosto muito de fazer time lapses e fotografias e de longa exposição então para mim um tripé é sempre necessário quando eu vou viajar, mas ao mesmo tempo é um saco ter que levar toda hora o meu Manfrotto para um passeio, ele é excelente, não me entenda mal, mas tem vezes que só quero fazer um foto rápida e seguir meu caminho. Então depois de muito pesquisar comprei um Joby GorilaPod 5K.

Ele é meio estranho, mas o Joby GorilaPod 5K faz a função de ser um tripé portátil e versátil

Ele não é nem de perto o melhor tripé do mundo, mas ele é compacto, leve e versátil, tudo que eu gosto. Ele realmente cumpre a função de maneira rápida e era justamente isso que eu estava procurando. Ele e a Sony A6300 funcionam perfeitamente juntos, ela tem o peso ideal para ser usada nele e ele tem o tamanho ideal para ela. Eu recomendo muito ele por ser pequeno e portátil, mas já aviso! COMPRE O ORIGINAL! Aqui no Brasil tem várias cópias falsificadas dele e elas são todas horríveis! Você pode colocar em risco o seu equipamento se usar uma dessas cópias! Então recomendo muito ir atrás de um original!

 

Itens Diversos e Bugigangas

Você não é um fotógrafo de respeito se não levar algumas bugigangas na sua mochila! Sabe aquele negócio que tem um formato esquisito e todo mundo pergunta o que é? Então nossa mochila tem que estar cheio dessas coisas!

Existe alguns utensílios que eu sempre levo comigo independente do lugar que eu for e são itens de uso geral e manutenção de câmera!

Itens diversos como Capa de chuva, Microfone e fuc-fuc moram na minha mochila!

Um dos itens que descobrir ser essencial em minha mochila é um Kit de Limpeza de Lente. Quantas vezes me peguei em uma situação com uma sujeirinha na lente e precisava limpar, mas não queria meter a camisa lá nem assoprar, o mínimo para se ter com você é um Fuc-fuc só isso já vai te ajudar a tirar aquele pozinho que entra na lente. Você pode encontrar o Kit de limpeza Clicando Aqui nesse link!

Outro item que eu descobri ser indispensável, principalmente em viagens para locais como selvas, matas, montanhas ou qualquer local que você vai estar exposto a chuvas e água é uma Capa de Chuva para sua mochila. Sim. Isso mesmo. Pode parecer uma bobagem, mas é impressionante como essa capa de chuva já me salvou e salvou meu equipamento muitas vezes. Então sim, Capa de Chuva, você pode comprar ela Clicando Aqui!

Um outro item que mora na minha mochila e não tiro ele nunca dela é um Filtro ND! E você não sabe quantas vezes eu me vi em situações em que esse filtro salvou a minha foto. Você pode encontrar um Filtro ND de boa qualidade Clicando Aqui! E se você quiser saber mais sobre Filtros ND’s confere o vídeo ai em baixo!

E por fim este é um item opcional, mas que eu, como produtor de vídeos adoro levar em minha mochila, que é um microfone. Eu escolhi para levar sempre comigo o Rode VideoMicro que é um ótimo combo junto com a Sony A6300. Ele entra no estilo compacto e discreto que gosto, mas sem abrir mão de qualidade para isso. Você pode optar também pelo modelo Rode VideoMic Go que é um pouco maior e mais chamativo, mas tem mais funcionalidade dependendo do que você quer fazer. Você pode comprar o RodeVideoMicro Clicando aqui neste link! Ou pode verificar o Rode VideoMic Go Clicando Aqui!

Item Bônus

Estava muito na dúvida se eu colocava esse item ou não, acabei decidindo por colocar ele como um item bônus, por alguns motivos. Primeiro, não levo ele em todas as viagens, só algumas especificas. Segundo. é um item que muitas pessoas podem não se interessar ou não gostar de usar e terceiro e último é um item bem caro para ser só uma diversão. Eu estou falando logicamente de Drones! Antes de falar sobre o drone em si preciso avisar você sempre que for viajar com um drone verifique as legislações de voos para o local onde está indo. Também sempre ande com o registro da sua aeronave e lembre-se de voar com segurança e seguindo todas as leis de voo.

Os drones estão se tornando cada vez mais populares e cada vez mais compactos o que facilita o transporte. Eu particularmente acho um equipamento incrível e super legal de ser ter na mochila, poderia recomendar vários modelos, mas tem um em específico que atende muito bem a viajantes pelo seu tamanho, peso e valor, eu estou falando do DJI Mavic Air!

DJI Mavic Air

Muitas pessoas podem não gostar dele, ou achar que tem outros que fazem imagens melhores. E de fato tem, mas o grande ponto do positivo deste drone em relação a qualquer outro é que ele é extremamente compacto e (isso é o mais importante) ele é considerado um aeromodelo de recreação em todos os países com legislação de Drone, pois seu peso total, com bateria acoplada é de 453g. Isso para quem viaja é incrível, pois diminuiu muito os riscos de se ter algum problema.

Controle do Mavic Air, os botões podem ser guardados para ficar mais compacto

Além disso sua compactabilidade é ótima. Ele é um drone que cabe na palma da sua mão, seu controle se “desmonta” para ocupar menos espaço. Se você gosta ou tem não existe desculpa para deixar ele em casa. Um recomendação que eu faço para você que vai comprar o Mavic Air, compre o combo. Ele sai um pouco mais caro, mas vale muito a pena pelo que vem dentro. Você ganha uma mochila que é ótima para levar ele, ganha duas baterias a mais, ganha carregador e mais coisas. Eu recomendo bastante levando em consideração o valor X o Que vem dentro. Se você quiser comprar o Mavic Air Fly More Combo é só Clicar Aqui! Se quiser conferir o Kit básico, Clica Aqui! (Mas recomendo o Combo).

O que achou? Qual é o item que não pode faltar em suas viagens? Comenta ai embaixo e seguimos clicando!

Gustavo Winther

Fotografia analógica – É mais divertido do que você imagina!

OK!!!
Hoje quero conversar um pouco com vocês sobre fotografia analógica e porque ela é tão importante para qualquer fotógrafo, além disso quero compartilhar algumas imagens que eu fiz recentemente usando filme.
O que é fotografia analógica?
Essa é uma dúvida muito válida, muitas pessoas podem não conhecer o termo e estarem se perguntando o que é isso. A fotografia analógica é a fotografia que veio antes da era digital, ou seja é a fotografia de filme. Aquela em que você fazia a foto e tinha que esperar para ver o resultado. Muitas pessoas (Incluindo eu mesmo), não vivemos essa era da fotografia e muitas vezes nunca chegamos a encostar em um rolo de filme.

Rolos de filme Kodacolor 200

Porque fotografar com filme em plena era digital?

Bom essa é a grande pergunta deste post né?! Por isso eu preparei este vídeo para vocês. (Se eu fosse escrever o porque disso eu iria fazer uma monografia, não queremos isso, não é mesmo?)

Onde e qual filme comprar pela primeira vez?

Então já está convencido que é legal fazer fotografia analógica? Está na hora de comprar seu primeiro rolo de filme e começar a brincadeira. Se você mora em São Paulo, o melhor lugar para comprar isso é no centro perto da rua 7 de Abril, lá você acha os mais diversos tipos de filme. Recomendo muito a Foto Ferrara (Lá eles também revelam) e a Angel Foto (ela geralmente é mais cara).

Quanto ao tipo de filme, o modelo podemos dizer. Acho legal começar com um Kodacolor 200. É um filme colorido com ISO 200, podemos dizer que é o mais comum e básico para se começar e você encontra ele por volta de R$ 20,00.
Se você não mora em São Paulo e quer comprar um rolinho de filme recomendo comprar pela Amazon Brasil! Você pode encontrar esse filme neste link aqui! (Se comprar através desse link você estará ajudando a manter esse blog e o canal!).
Depois que você se divertir com o Kodacolor 200, você pode experimentar algum filme preto e branco. Esses filmes geralmente custam mais caro, mas tem uma qualidade superior. Recomendo o Ilford Pan F ISO 50 ou o Kodak T-Max ISO 100! 
O diferencial destes dois filmes, além de serem preto e branco, é a sensibilidade de cada um, eles têm uma sensibilidade menor o que pode dificultar um pouco as fotografias em baixa luz!

Qual câmera usar?

Essa pergunta não é tão importante, mas recomendo usar uma câmera que tenha modo manual. Se você só tiver câmeras compactas e não quiser investir nisso no momento use elas e seja feliz, mas se você tiver um dinheirinho guardado recomendo ir atrás de uma câmera anlógica com modo manual. Eu gosto de usar a Nikon FM10 que tem lentes intercambiáveis e é praticamente uma câmera profissional da época do filme, você consegue achar ela para comprar no Mercado Livre por volta de R$500,00 (mas os valores podem variar dependendo do estado e do vendedor).

Câmera Analógica Nikon FM10

Outras câmeras super populares para fotografia analógica são as Pentax e Zenit! Você consegue achar elas por um valor acessível e elas vão oferecer tudo o que precisa para brincar com os filmes!

Ok! Fiz minhas fotos e agora?

Uma vez feita as fotos você vai precisar revelar elas. Esse processo pode demorar 1 Dia ou 1 Mês dependendo do lugar que você levar. Eu sempre levo no Foto Ferrara e geralmente demora umas 2 Semanas para revelar 1 filme e escanear e o valor fica por volta de R$22,00. Se você não está em São Paulo, acredito que você possa entrar em contato com o pessoal da Foto Ferrara e enviar o rolo de filme via correio, mas recomendaria procurar algum lugar na sua cidade (pode ficar mais em conta).

Filme revelado

Agora que você já fez tudo, basta aproveitar as suas fotografias e compartilhar com o pessoal! Ficarei muito feliz se você me marcar nas suas fotografias! (@gowinther)
Espero que tenham gostado e espero que façam algumas fotografias com filme! Seguimos clicando!
Gustavo Winther

 

 

Princípios da Fotografia! – Aprenda os conceitos básicos para dominar sua câmera!

OK OK!!

Há tempos não posto aqui no Blog, abandonei ele? Não, apenas estou postando mais no meu Canal do YouTube! Recomendo você passar por lá se você gosta de produção audiovisual e fotografia estou dando muitas dicas sobre os temas!

Bom meu nome é Gustavo Winther  e hoje vim trazer alguns conceitos básicos da fotografia. Quem acompanha meu canal já viu a série princípios da fotografia abordo temas básicos para qualquer fotógrafo. No post de Hoje quero trazer os conceitos sobre como usar o Modo Manual  da sua câmera.

O que é o Modo Manual?

Todo mundo que começa a fotografar cedo ou tarde vai se deparar com o desafio de aprender a usar o modo manual. Ele não é nenhum bicho de 7 cabeças, então, para começar, o que é esse tal modo manual? (Rimas a parte, mas ficou legal).

Modo Manual em uma Câmera DSLR

A câmera fotográfica busca equilíbrio! Toda vez que você aponta para uma cena ela processa todas as diferentes fontes de luzes e “decide” qual é o equilíbrio de luz para aquela imagem, ou seja, ela sempre tenta achar qual é o ponto em que tudo fica “iluminado”, fazendo todo esse processo de uma maneira automática. Ela controla, a partir de 3 grandezas (ISO, Velocidade e Abertura), o quanto de luz vai entrar na câmera para se ter uma imagem equilibrada.

O modo manual da câmera é para você liberar a capacidade de controlar individualmente essas 3 grandezas e decidir o quanto de luz entra ou não na sua câmera. Isso é a famosa Fotometria.

Fotometria é o termo para uma escala de quantidade de luz que está presente em todas as câmeras.

Fotometria Ilustração

Ele indica como a fotografia vai ficar, se vai ficar mais clara ou mais escura, mas para você controlar isso é necessário você entender as 3 grandezas da fotografia ISO ou sensibilidade, Velocidade do Obturador e Abertura da Objetiva.

O que é ISO?

Vamos começar falando sobre o ISO ou sensibilidade do sensor. Toda câmera digital tem um sensor que é sensível a luz, antigamente nas câmeras analógicas esse sensor era o Filme Fotográfico. Esse sensor mede a sensibilidade em ISO. Quanto maior o valor do ISO, mais sensível a luz ele está. Quanto menor o valor ISO menos sensível ele está a luz!

Veja o vídeo que eu esclareço todas as suas dúvidas!!!

Como eu disse no vídeo. Se você usa um ISO de 200 o seu sensor está pouco sensibilizado a luz sendo assim a fotografia fica mais escura. Se você usa um ISO de 1600 o seu sensor está super sensibilizado à luz e sua foto vai ficar mais clara.

E vale lembrar do aspecto estético da imagem! Quanto maior for o ISO da sua câmera mais granulação vai ter na sua fotografia, quanto menor o ISO menos granulação vai ter sua foto, veja o exemplo a seguir!

Sensibilidade ou ISO

O que é Velocidade do Obturador?

A segunda grandeza de uma câmera fotográfica é a Velocidade do Obturador. Esse valor é medido em segundos e frações de segundos e pode variar de 30 segundos até 1/4000 segundo.

Para entendermos a velocidade precisamos entender a mecânica básica de uma câmera. Toda câmera tem uma peça chamada obturador ele fica entre a lente e o sensor e a função dela é controlar o período de tempo que o sensor recebe luz. Temos que pensar o obturador como uma janela que abre durante um certo período de tempo para a luz entrar no quarto. Quanto mais tempo aberto mais luz o quarto recebe e mais claro ele fica. Quando menos tempo aberto menos luz  o quarto recebe e mais escuro ele fica.

Veja o vídeo abaixo onde explico perfeitamente tudo isso!

A velocidade assim como o ISO controla outro aspecto estético da imagem. Quanto mais lento for a velocidade do obturador mais “Borrado” vai ser a fotografia e quanto mais rápido for a velocidade mais “congelada” vai ser a imagem, confira ao exemplo a seguir!

Velocidade do obturador

O que é Abertura do diafragma ou f-stops?

A abertura ou F-stops diferente das duas outras grandezas é uma função da objetiva. Cada objetiva tem uma abertura diferenciada. Essa abertura é responsável pela quantidade de luz que entra na câmera. Ela tem valores que varia de f/1.4 até f/22. Sendo que f/1.4 é o diafragma super aberto, ou seja que permite muita entrada de luz e f/22 é o diafragma super fechado, ou seja que permite pouca entrada de luz.

Um pouco confuso né? Confere o vídeo que não fica nada confuso!!

Além disso a abertura controla um aspecto estético da imagem. Ela controla a profundidade de campo e campo focal da sua fotografia. A imagem é formada por pequenos círculos de luz, quando colocamos uma objetiva para intermediar o processo entre luz e sensor nós adicionamos características estéticas como por exemplo o foco, a habilidade de poder escolher que área da imagem vamos focar. Além disso com a adição do diafragma para controlar a entrada de luz, que é um grande círculo, nós conseguirmos controlar o tamanho do círculo de luz que irá formar a imagem e por consequência isso interfere no capo focal da imagem, que é a área possível para se fazer o foco. Quando mais fechado o seu diafragma for (EX: f/22) maior vai ser seu campo focal. Quando mais aberto for seu diafragma (EX: f/1.4) menor vai ser seu campo focal e mais desfoque vai ter sua fotografia. Confira a imagem abaixo que exemplifica tudo isso!!

Abertura do Diafragma ou F-stops

Essas são as 3 grandezas da fotografia e a partir do entendimento delas e de como cada uma funciona você vai buscar a fotometria correta para sua imagem.

E agora? Vai usar o Modo Manual para fazer suas fotografias? Espero que tenham gostado do artigo, não se esqueçam de dar uma olhada no canal do YouTube! Vejo vocês no próximo!

Gustavo Winther

Como adicionar FLARE nas suas fotografias usando o Celular!

Fala Pessoas, Gustavo Winther aqui e no vídeo de hoje eu trago uma dica super rápida de como adicionar Flare nas suas fotografias usando o celular. Há um tempinho atrás, eu trouxe um vídeo que falava de como adicionar o mesmo efeito usando o Photoshop mas nem todos possuem o software ou às vezes simplesmente prefere editar uma foto rapidamente no celular… Então, descobri o App chamado Lens Distortion, que permite adicionar vários efeitos a sua fotografia! Confere o vídeo!

 

Gustavo Winther

5 Dicas para melhorar sua WORKFLOW no LIGHTROOM! – Vídeo

Fala pessoas! Gustavo Winther aqui e hoje venho trazer um vídeo sobre como melhorar a sua Workflow no Lightroom em 5 dicas! O link para o vídeo está lá em baixo!

Mas para você que não conhece o Lightroom (LR) vou explicar brevemente o que é e para que serve.

O Lightroom é um programa da Adobe para edição de fotografias, mas diferente do Photoshop, ele também é usado para catalogar e organizar as suas fotos. “Como assim?”, você pergunta. Imagina o Lightroom como uma grande sala onde você tem todas as suas fotografias organizadas em pastas (Coleções) onde conseguimos achar as fotografias com apenas um clique, além dessa função de organizar e catalogar, o Lightroom também tem uma sessão de “Edição” onde você pode trabalhar cada fotografia (exposição, contraste, saturação e etc.). A principal diferença dele para o Photoshop, é que o PS é um manipulador de fotografias, ou seja, se você quiser adicionar um dragão em uma foto, você  consegue!

O LR é hoje uma ferramenta essencial para os fotógrafos, um método que agiliza e organiza o seu trabalho, mas existem dicas e “shortcuts” para tornar esse processo mais ágil e preciso! Então confere o vídeo e vire um monstro de LR!

 

Gustavo Winther

PHOTOSHOP – Como adicionar Flare!

Fala pessoas! Gustavo Winther aqui e hoje venho, pela primeira vez, trazer um vídeo falando sobre Photoshop! Essa ferramenta incrível que todos os fotógrafos devem conhecer e amar, e vamos falar de como adicionar o Flare usando o Photoshop!

Para quem não sabe, o Flare é o termo para  quando a luz entra diretamente pela lente da câmera e reflete nos vidros internos da lente criando elementos na imagem. Aquelas “bolinhas” é um efeito estético muito usado em diversas fotografias e ele é sempre muito atraente.

Nem sempre conseguimos fazer o efeito da maneira natural, seja por que a lente não é boa para fazer o Flare, talvez não tenhamos luz suficiente ou está muito nublado, são N fatores podem impedir você de fazer o Flare diretamente na hora da foto, mas podemos adicioná-lo usando o photoshop de maneira rápida e simples! Vou deixar o resto das dicas no vídeo que ficou bem mais fácil e simples de entender!

Gustavo Winther

 

Como comprar sua primeira câmera! – VÍDEO

Fala pessoal! Gustavo Winther aqui e hoje vou estar compartilhando com vocês um vídeo sobre “dicas” para aqueles que vão comprar sua primeira câmera! Eu já fiz um post aqui no Blog falando sobre o assunto (Se quiser dar uma olhada clica aqui)!, mas como algum tempo passou, acho legal levar em consideração outros fatores! (Lembrando que tudo que falo aqui é minha opinião e maneira de ver as coisas.) Acho bom frisar a seguinte questão NÃO é a câmera de R$ 50.000,00  que vai fazer suas fotografias ficarem boas ou ruins, NÃO é quantas lentes você tem que te torna em um fotógrafo melhor ou pior. Já vi muito fotógrafos fazerem uma foto FODA (para falar o português claro), com uma caixa de fósforo, assim como já vi muitos outros com uma câmera último modelo fazendo uma foto “xexelenta”. Eu espero que o vídeo traga uma nova visão para você que vai comprar sua nova câmera e esclareça algumas possíveis “dúvidas” nessa sua primeira escolha!

Gustavo Winther

[Re-Cut] Shape Of You – Ed Sheeran

Ultimamente eu tenho me divertido demais com produções Audiovisuais, como muitos puderam ver pelo meu canal do Youtube, e não só com produções mas também com diversas questões do AV. Entrei em vários grupos no Facebook para ver o que a galera estava produzindo e ver qual era o estilo do pessoal e sinceramente eu fiquei um pouco intrigado com a questão da montagem e da edição. É quase unânime, no senso comum, uma boa edição é aquela cheia de efeitos e transições muito loucas, Smooth zoom, Zoom in, Zoom out,  Luma key, são tantos efeitos que você

não sabe mais o que é o que. Eu comecei a questionar, será que isso faz uma edição ser uma boa edição? E as técnicas de montagem? Será que nesse âmbito comum as pessoas simplesmente ignoram (ou desconhecem) o poder de 2 imagens juntas? Questões que não são superficiais. Se

levarmos em conta que uma boa edição é o uso exagerado de efeitos e transições, então estamos considerando grandes filmes como Apocalipse Now  (que foi praticamente resolvido na edição)um filme ruim? Pessoas podem falar “Ah, mas filmes assim não precisam de efeitos nas transições e coisas assim”, por isso que estou fazendo esse post. Hoje trago o Clip da música Shape Of You do Ed Sheeran e desmonto ele para vocês, para mostrar, que mesmo em um clip, aonde esses efeitos seriam mais usados, não existe nenhum.

Foi um processo rápido, baixei o clip e fui cortando cena a cena, toda vez que eu via um corte eu cortava na timeline do Premiere e no final descobrimos algumas coisas interessantes. O clip tem um total de 4 minutos 23 segundos com os créditos no final. O tempo de clip sem

créditos é de 3m58s15f nesse meio tempo são feitos 165 cortes secos, dentre desses 165 cortes não existe nenhuma transição entre os quadros, nem o Fade In. Alguns quadros tem um certo Slow Motion, mas nada muito complexo. Dentre esses 165 quadros o take mais longo dura 6s6f, que é a cena do Ed dançando com a Jennie Pegouskie, que é a atriz que contracena com ele. Vale lembrar que o Aspect Ratio é de 16.9 e se eu estiver correto tem uma janela de 2.35.1.

Fatores importantes a se levar em consideração: Primeiro, existe um único take que eu acredito ter sido um 3D, que é uma cena da câmera entrando pelo bueiro e saindo em um local com o Ed treinando, mas apenas. Segundo fator importante é a iluminação e correção de cores do clip, temos um Teal and Orange presente em grande parte das cenas junto com um campo focal estreito, o que ajuda bastante na estética do Clip e ajuda na hora da montagem. Terceiro a montagem do clip é feita praticamente com raccords plásticos levando em conta a composição dos takes. Existe um paralelismo da montagem com a música, como vemos no começo do clip quando cada soco que ele dá no saco de pancadas está sincronizado com a batida, um detalhe que dá uma ótima sensação visual.

Ao meu ver é um clip bem resolvido, é agradável de se ver e não tem nenhuma artimanha de edição ou complexidades de transições. Não estou falando que o uso de transições e efeitos  é algo que desvalorize seu trabalho, muito pelo contrário, pode enriquecer muito a sua edição, mas o que eu não concordo é o fato de um trabalho ser considerado bem editado só por ter milhares de efeitos, enquanto um trabalho com apenas cortes secos e montagem inteligente ser considerado com uma “edição fraca” (Claro que isso não é uma regra geral, estou me baseando nas coisas que vejo pela internet, e nem todos pensam dessa maneira). Eu vou disponibilizar o projeto do Premiere para Download (Só clicar aqui), com todos os cortes que eu fiz e caso haja alguma objeção as coisas que eu escrevi estou aqui para debater e repensar! E mais, aqui em baixo vou deixar uma tabela com as especificações do clip desde câmeras usadas para realização, os números de cortes e coisas do gênero, apenas dados técnicos mas que pode ser de curiosidade geral.

 

Gustavo Winther