[Re-Cut] Shape Of You – Ed Sheeran

Ultimamente eu tenho me divertido demais com produções Audiovisuais, como muitos puderam ver pelo meu canal do Youtube, e não só com produções mas também com diversas questões do AV. Entrei em vários grupos no Facebook para ver o que a galera estava produzindo e ver qual era o estilo do pessoal e sinceramente eu fiquei um pouco intrigado com a questão da montagem e da edição. É quase unânime, no senso comum, uma boa edição é aquela cheia de efeitos e transições muito loucas, Smooth zoom, Zoom in, Zoom out,  Luma key, são tantos efeitos que você

não sabe mais o que é o que. Eu comecei a questionar, será que isso faz uma edição ser uma boa edição? E as técnicas de montagem? Será que nesse âmbito comum as pessoas simplesmente ignoram (ou desconhecem) o poder de 2 imagens juntas? Questões que não são superficiais. Se

levarmos em conta que uma boa edição é o uso exagerado de efeitos e transições, então estamos considerando grandes filmes como Apocalipse Now  (que foi praticamente resolvido na edição)um filme ruim? Pessoas podem falar “Ah, mas filmes assim não precisam de efeitos nas transições e coisas assim”, por isso que estou fazendo esse post. Hoje trago o Clip da música Shape Of You do Ed Sheeran e desmonto ele para vocês, para mostrar, que mesmo em um clip, aonde esses efeitos seriam mais usados, não existe nenhum.

Foi um processo rápido, baixei o clip e fui cortando cena a cena, toda vez que eu via um corte eu cortava na timeline do Premiere e no final descobrimos algumas coisas interessantes. O clip tem um total de 4 minutos 23 segundos com os créditos no final. O tempo de clip sem

créditos é de 3m58s15f nesse meio tempo são feitos 165 cortes secos, dentre desses 165 cortes não existe nenhuma transição entre os quadros, nem o Fade In. Alguns quadros tem um certo Slow Motion, mas nada muito complexo. Dentre esses 165 quadros o take mais longo dura 6s6f, que é a cena do Ed dançando com a Jennie Pegouskie, que é a atriz que contracena com ele. Vale lembrar que o Aspect Ratio é de 16.9 e se eu estiver correto tem uma janela de 2.35.1.

Fatores importantes a se levar em consideração: Primeiro, existe um único take que eu acredito ter sido um 3D, que é uma cena da câmera entrando pelo bueiro e saindo em um local com o Ed treinando, mas apenas. Segundo fator importante é a iluminação e correção de cores do clip, temos um Teal and Orange presente em grande parte das cenas junto com um campo focal estreito, o que ajuda bastante na estética do Clip e ajuda na hora da montagem. Terceiro a montagem do clip é feita praticamente com raccords plásticos levando em conta a composição dos takes. Existe um paralelismo da montagem com a música, como vemos no começo do clip quando cada soco que ele dá no saco de pancadas está sincronizado com a batida, um detalhe que dá uma ótima sensação visual.

Ao meu ver é um clip bem resolvido, é agradável de se ver e não tem nenhuma artimanha de edição ou complexidades de transições. Não estou falando que o uso de transições e efeitos  é algo que desvalorize seu trabalho, muito pelo contrário, pode enriquecer muito a sua edição, mas o que eu não concordo é o fato de um trabalho ser considerado bem editado só por ter milhares de efeitos, enquanto um trabalho com apenas cortes secos e montagem inteligente ser considerado com uma “edição fraca” (Claro que isso não é uma regra geral, estou me baseando nas coisas que vejo pela internet, e nem todos pensam dessa maneira). Eu vou disponibilizar o projeto do Premiere para Download (Só clicar aqui), com todos os cortes que eu fiz e caso haja alguma objeção as coisas que eu escrevi estou aqui para debater e repensar! E mais, aqui em baixo vou deixar uma tabela com as especificações do clip desde câmeras usadas para realização, os números de cortes e coisas do gênero, apenas dados técnicos mas que pode ser de curiosidade geral.

 

Gustavo Winther

Anúncios

2 pensamentos sobre “[Re-Cut] Shape Of You – Ed Sheeran

  1. Gostei do texto. Infelizmente vivemos uma época onde tentemos a qualificar determiadas edições nos baseando (apenas) no poder de “show off” do editor com transições a la L. Dalessandri. São sim montagens e vídeos de encher os olhos, servindo como referência pra bastante coisa. Mas um bom editor não se resume a apenas isso. Afinal, milhares de transições milimetricamente pensadas em cima de um amontoado de imagens completamente desconexas e aleatórias não contam história alguma. 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s