Processos Alternativos – O Papel Salgado e sua origem.

Nesse Post vou contar a história do Papel Salgado um dos primeiros processos para a captação de imagem pela luz. O Papel Salgado surgiu próximo do ano 1834 pelas mãos do Henry William Fox Talbot, um dos pioneiros da fotografia e inventor do Papel Salgado que se popularizou entre os fotógrafos da época no ano de 1840.

O Papel Salgado se trata de um papel comum de qualquer origem (Sulfite, cartolina, papel de arroz, papel cartão, etc.) que é fotossensibilizado para reagir com a luz. Antes de explicar como funciona o papel salgado vou explicar um pouco das reações que acontecem para a imagem ser formada quando exposta a luz. O principal fator da fotografia analógica é a prata ou algum outro tipo de ferro oxidável quando em contato com a luz. A prata quando exposta a luz oxida de maneira rápida, quando oxidada ela fica escura, repara naqueles talheres de prata que tem na sua casa, eles não ficam manchados de vez em quando? Isso acontece pois a prata reage com diversas coisas a volta dela e oxida criando aquelas manchas. A fotografia é isso, oxidação da prata.

Agora que expliquei como “funciona” a prata é mais facil explicar o papel salgado. Para fotossensibilizar uma papel para ele virar um papel salgado é bem simples, primeiro

Fotograma em papel Salgado

Fotograma em papel Salgado

você tem que passar no papel uma camada de ácido cítrico, Cloreto de Sódio misturados com água. Deixe secar e passe o Nitrato de Prata misturado com água (no final do post deixo uma tabela com as proporções certas de cada elemento). Feito isso espere o papel secar e a seguir pegue uma transparência “negativada” de uma foto sua coloque junto ao papel salgado. Nesta parte recomento colocar em uma prensa de vidro, espuma e madeira para o papel ficar bem grudado com a transparência, de alguma forma prense o papel contra um vidro, feito isso basta expor esse papel a luz, o tempo de exposição vai depender muito da fonte luminosa, a melhor coisa a se fazer é expor o papel a luz e ficar olhando para ele, você vai notar que ele começa a assumir uma cor acastanhada, quando chegar nesse ponto está bom.

Leve o papel para dentro de casa, retire ele da prensa e de um banho em água corrento para tirar o excesso de prata nele, se você tiver um fixador você pode dar um banho nele para fixar a prata. Fora isso você pode fazer uma viragem em ouro para assegurar que a imagem não vai desaparecer de maneira nenhuma, mas isso já aumenta bastante os gastos do processo, se está fazendo apenas para se divertir e conhecer mais, não se preocupe com o banho de ouro.

Bom você deve estar se perguntando porque eu decidi do nada falar sobre esse processo histórico, bom na verdade não foi do nada. No começo do ano fui a uma exposição no instituto Tomie Ohtake chamada SAL, feita pelo fotógrafo Ricardo Hantszchel aonde ele usou esse processo histórico do papel salgado para revelar as imagens. A exposição ficou

Imagem do ensaio SAL, por Ricardo Hantszchel

Imagem do ensaio SAL, por Ricardo Hantszchel

na minha cabeça, principalmente pelo uso do papel salgado como suporte, pois veja como o suporte foi usado no ensaio: é um ensaio que fala sobre uma salina que fica no rio de janeiro e seus trabalhadores, me diga se o suporte escolhido para a apresentação final das imagens foi bem escolhido? Eu particularmente acho que foi perfeitamente escolhida, pois o ensaio ganhou muito mais força com o uso desse suporte, e não foi um suporte usado do nada, ele teve um sentido e razão para ter sido usado.

Esse foi um dos motivos de eu ter vindo falar do papel salgado aqui primeiro, no meio da era digital o uso de um processos histórico pode surpreender se for usado com sentido e agregar conhecimento ao ensaio, não apenas para ser usado, segundo, conhecer os primórdios da fotografia te faz conhecer melhor a fotografia de hoje, “temos que estudar o passado para aprender sobre o futuro”, terceiro, mas não menos importante, fotografia é muito mais do que só apertar um botão, fotografia é ter ideias e conhecimentos e conseguir casar suas ideias com o seus conhecimentos em imagens.

Bom, como eu disse lá em cima vou deixar aqui as medidas corretas para preparar o Papel Salgado e vou deixar um vídeo que explica como fazer, o vídeo estou deixando mais para você visualizarem como é feito todo o processo.

Fórmula:

Banho de Sal

– 1000 ml de água

-20g de ácido cítrico

-20g de cloreto de sódio (Sal)

Banho sensibilizador:

-1000ml de água

-10g de Nitrato de prata

Essa é a proporção correta dos químicos, peguei essa receita no site imagineiro deem uma olhada neles!

E quem quiser ver como faz esse processo em 16 passos, veja esse vídeo aqui!

Se você tem interesses em fotografia analógica sugiro ler o meu post das Pinholes, aonde eu explico como fazer uma câmera com uma latinha de leite! Muito obrigado por lerem, dúvidas, sugestões, críticas e comentários estarei aqui a disposição!

Confira também o Blog da Alternativa Fotografia Clicando aqui! Lá você vai encontrar muito mais sobre processos alternativos!

ERRATA

Fui avisado pelo Fábio Giorgi do Alternativa Fotográfica  que a imagem, de sua autoria, antes apresentada neste artigo como um fotograma de papel salgado é um Lumem Print com aplicação posterior da Solução de Papel Salgado. Para os curiosos deixo o link da imagem basta clicar aqui!

Gustavo Winther

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s